As 5 coisas mais difíceis em ser vegano

Quando ouço “Não consigo”

Eu já nem digo que sou vegan ou vegano porque passo a ser policiado diariamente, tanto por vegans, como não vegans. Dispenso ser mais policiado que a minha própria consciência em algo que já envolve tanto altruismo e total compaixão para com os animais como o veganismo.

Mas quando digo que sou vegan, custa-me ouvir “Isso é tão difícil. Eu não conseguia. Adoro queijo.”

Existem biliões de animais criados para viverem presos, serem explorados a aguardarem o dia do abate. Não será isto razão suficiente para abdicarmos do queijo ou do leite?

Depois de ter ganho consciência e ter percebido o holocausto em que vivem os animais da indústria agropecuária, faz-me muita confusão ouvir comentários tão egoístas como “Eu não consigo”.

A pessoa não consegue deixar de comer queijo porque sabe bem, mas o animal tem de conseguir viver preso, ser explorado e suportar o abate sem necessidade. Isto de pessoas que querem tanto justiça.

A ilha e o porco

Já sei que de vez em quando vou ouvir a pergunta “Se estivesses numa ilha sozinho com um porco..”.

Respondo da seguinte forma: “Agiria da mesma forma que estivesse numa ilha deserta com uma lésbica. Violava? NÃO! E tu… ?”

“Eu não sou tão extremista”

Ouvir isto, como forma de defesa, é a coisa mais rídicula que oiço com mais frequência.

É como se vivessemos na altura dos escravos, e alguém dissesse que ia libertar todos os escravos, ouvisse como resposta “Eu não sou tão extremista; vou manter 2 ou 3 escravos.”

Ser extremista por causas nobres como o veganismo, ou contra a violência doméstica, as violações, a escravidão, exploração de crianças, tráfico de pessoas, é a única forma de se agir.

Cheiro a carne morta

Cheirar carne morta, faz-me sentir como a maior parte das pessoas se sentiria ao passar por um campo de concentração nazi depois de um dia de cremação.

E não poder fazer nada. Essa impotência, essa angústia que é ter que aceitar que matem e cozinhem animais para gaúdio de alguns.

Se a justificação é que se cozinham animais para nos dar saúde, também os nazis cremavam judeus porque as suas riquezas, roubadas, depois podiam alimentar melhor os alemães, e podiam ir a melhores médicos, etc.

Por mais que tente encontrar justificações para se comer animais, nenhuma consegue ser razão suficiente para invadir a sua liberdade, de os castigar e matar, sem necessidade.

Vegetarianos

Quando oiço alguém orgulhosamente dizer que é vegetariano, como se fosse o salvador do planeta, faz-me confusão, até porque não acho que existam salvadores de planetas.

As pessoas que são vegetarianas por causa de si próprias, não por compaixão pelos animais, ou seja, que são para terem melhor saúde, mas continuam a investir deliberadamente numa indústria que mata animais ao comprarem malas, carteiras, sapatos, cintos, sofás e casacos de pele, fazem-me confusão. Continuam a comer ovos, queijo e leite, o que envolve a trituração de pintainhos vivos ou abate de bovinos machos recém-nascidos que não produzem leite. Continuam a comprar produtos testados em animais, como pastas de dentes, shampos, maquiagem. Continuam a ir a circos, zoos e touradas tranquilamente.

Ser vegetariano, nesta forma de vida, não traz na realidade praticamente nenhum benefício em relação aos animais, ou mesmo às pessoas. O queijo, o leite, iogurtes, ovos são produtos mais que provados que não são bons para humanos. E parece-me fácil perceber que um líquido feito por um herbívoro para transformar o seu filho vitelo de 36 kg numa vaca de 360kg em um ano, não é certamente a bebida ideal para um ser humano. Mas a indústria leiteira conseguiu de uma forma genial convencer a humanidade disso, e agora vendem-se trilões de litros de leite por dia no mundo de vaca (mais de cabra). Leite de cadela ou de porca já não presta claro, porque a indústria leiteira não tira leite a cadelas e porcas, logo é só nojento.

No entanto, há vegetarianos que não têm ainda total consciência da exploração animal (eu já fiz parte deste grupo). Existem também vegetarianos que, por falta de informação, julgam que não é possível ser vegano nem conhecem ninguém vegano e isso torna muito mais difícil a transição para um estilo de vida vegano. Estes não me fazem qualquer confusão e demonstram inclusivamente um esforço no sentido de fazerem algo pelo próximo, e são potenciais veganos.


Tirei a idea da Veggietal

 

Comentários
A carregar..