Bárbara, 23 anos, Youtuber Vegan

Se não conheces a Bárbara Cardoso, vais conhecer. É uma youtuber de 23 anos que explica sem papas na língua os detalhes da vida como vegan, entre outras coisas.

Como te apresentas?

Sou a Bárbara, tenho 23 anos, sou licenciada em Artes Visuais. Sou vegan e recentemente descobri uma enorme paixão pela comunicação através de vídeos no Youtube.

Quais são os teus hobbies?

Os meus principais hobbies são o desenho e a escrita. Agora acabo por não ter tanto tempo para essas duas coisas quanto gostaria, porque me tenho dedicado a 100% tanto ao canal de youtube como à minha loja online, mas sem dúvida que o desenho e a escrita, para além de hobbies são duas enormes paixões. Desenho desde que aprendi a pegar em lápis e tenho um livro publicado, que é das coisas que mais me orgulho de ter feito na vida, portanto são duas coisas de extrema importância para mim.

Quais as coisas mais caricatas que sabes fazer?

Não sou uma pessoa nada interessante nesse aspecto, não consigo fazer nada fora do normal com o meu corpo. A única coisa que consigo fazer, que nem toda a gente consegue (apesar de não ser de todo raro) é levantar a minha sobrancelha direita 😛 Ah e sim, também consigo abrir as narinas!! ahhahaha

Além da loja, e do youtube, como tens rendimentos?

Para além disso também consigo alguns rendimentos com as vendas do meu livro e com trabalhos esporádicos tanto na área da decoração como na área de vídeo/fotografia. Neste momento tenho a sorte de me poder dedicar a 100% ao que realmente gosto e quero fazer, independentemente dos rendimentos que consigo retirar disso. É um privilégio que seria ingrato não aproveitar 🙂

Como tiveste ideia para o nome da loja Loobie Stuff?

A história do nome Loobie Stuff não é nada de outro mundo. É um pouco parva até! Eu tenho uma grande amiga que numa determinada altura se habituou a chamar-me Boobie, porque para além de estar relacionado com as letras do meu nome verdadeiro, ela brincava muito comigo por ter umas maminhas grandinhas xD Quando criei a minha conta de instagram pessoal quis que o nome de utilizador fosse ”boobie” mas já estava ocupado, então acabei por juntar a palavra ”loobie” só mesmo porque rimava e achei engraçado. Tive esse nome de utilizador até há bastante pouco tempo, e quando surgiu a ideia de criar a loja quis que tivesse algo a ver com essas duas palavras. Como achei que ”Boobie Stuff” podia soar duvidoso, acabei por optar por Loobie Stuff 😛

Qual o teu top favorito?

  • Loja fisica: Qualquer loja de materiais de arte xD
  • Cidade: Loulé
  • Restaurante: Gengibre e Canela (Faro)
  • Loja Online: apesar de nunca ter lá comprado nada (ainda) acho a Pegada Verde incrível!
  • Youtuber: Earthling Ed
  • Cantor: Keaton Henson
  • Cor: Amarelo
  • Estação do Ano: Inverno

Qual o material com que fazes as gravações e que programa usas para editar os filmes?

Eu gravo os meus vídeos com uma Panasonic GH5 e edito no Adobe Premiere Pro CC 2015.

Porque colocas legendas nos filmes?

Não coloco legendas em todos os vídeos (algo que pretendo melhorar porque descobri que tenho subscritores surdos). Costumo pôr apenas em vídeos com um caracter mais poético porque como já disse, tenho uma grande paixão pelas palavras e acho que a sua presença visual dá outra força ao que pretendo transmitir. Para além disso, gosto imenso do efeito estético que as legendas acrescentam aos vídeos.

Qual dos teus vídeos, o teu vídeo favorito?

É mesmo muito difícil decidir, tenho imensos e são todos muito diferentes uns dos outros. Mas os que me vêm automaticamente ao pensamento são o meu vídeo de retrospectiva do ano de 2017, e o vídeo que fiz a falar sobre a minha avó e a doença dela. São vídeos que adorei escrever, gravar, editar e que ainda hoje, volta e meia revejo. Fazem-me sentir, e eu gosto muito disso.

Quanto tempo foste vegetariana e há quanto tempo és vegan?

Fui vegetariana durante cerca de 2 anos e em Janeiro faz 3 anos que decidi tornar-me vegan.

Em Portugal, diz-se Vegan ou Vegano?

Ahahhaha, essa é a eterna questão sem resposta! Eu sempre disse vegan, como se diz em inglês e sempre associei a palavra ”vegana” ao português do brasil. Também há muita gente a dizer ”végan” porque diz que é assim que se lê em português, o que até tem a sua lógica. Mas não sei, acho que cada um pode dizer como lhe apetecer e ir variando se for o caso (como eu por vezes faço) ahhahaha.

Não achas a definição de Vegan muito pouco definida, ou seja, dá origem a muitas interpretações?

Não, aliás, acho a definição de veganismo bastante clara até. O problema é que as pessoas gostam de ir alterando o seu significado conforme lhes apetece ou acham melhor. Para uns, o veganismo é só não comer animais e continuar a usar pele (por exemplo), para outros vai a um extremo que transcende o veganismo, como ter não ter telemóvel ou casa própria. Eu não concordo nem com uma visão nem com outra. O veganismo é o que é: evitar na medida do possível e praticável consumir tudo o que seja proveniente de animais, que os explore ou cause sofrimento. Depois disso, o que cada um faz com a sua vida nada tem a ver. Se para além de vegan, uma pessoa quiser ter também uma preocupação com o impacto negativo da industria da moda e não quiser comprar em lojas de fast-fashion…óptimo!! É excelente, mas já vai para além do veganismo. Eu já fui muito criticada por me nomear vegan e comprar roupa em lojas convencionais, por estar a contribuir para uma industria de exploração humana e ambiental, como se isso, em alguma instância tivesse alguma coisa a ver. Como o amigo Tony Ramos dizia, e eu estou totalmente de acordo: ”uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”.

Quem te critica mais: vegans ou não-vegans?

Essa é uma pergunta difícil de responder, porque 99% das críticas que recebo são na internet, então na maioria dos casos eu não faço ideia se a pessoa é vegan ou não. O que eu sinto é que as criticas que recebo por parte de vegans são coisas mais chatinhas, de pormenores. Do género: ”usaste 3 sacos de plástico quando podias ter usado só um” ou ”essa refeição que comeste tinha hidratos a mais e faltava fibra”. Coisas assim do género. Como se estivéssemos todos numa espécie de concurso para ver quem era o mais vegan de todos!! As críticas que recebo por parte de não-vegans são mais por falta de informação, por pessoas que ainda acham que beber leite previne ossos fracos ou que sem carne uma pessoa morre. Mas em termos quantitativos não sei porque grupo sou mais criticada, para ser sincera.

Como te sentes a comer ao lado de pessoas que comem carne, um amigo animal q pode ter estado ao teu lado no dia anterior num camião?

Se dissesse que ficava bem ou indiferente, estava a mentir. Afecta-me muito, deixa-me triste e um pouco revoltada. Passei por uma fase em que não conseguia esconder a revolta e acabava por ser indelicada com as pessoas, mas depressa percebi que esse comportamento só resultava no contrário do que eu pretendia. Fazia as pessoas afastarem-se, negarem-se a ouvir o que eu tinha para dizer. Percebi que cada um tem o seu ritmo e que cada pessoa vai estar preparada para ouvir e tomar certas decisões em alturas diferentes. Hoje em dia, falo apenas do assunto quando me perguntam diretamente ou se, por alguma outra razão, se proporcionar. Custa-me comer ao lado de um pedaço de um corpo morto, mas repito para mim mesma que é uma questão de tempo. Que felizmente as coisas estão a mudar muito todos os dias.

Fazes ativismo?

Eu considero o meu canal um meio de ativismo. Não de ativismo tradicional, de ir protestar na rua ou falar diretamente com as pessoas. Já pensei em fazê-lo, mas para ser totalmente sincera, seria estar a pôr-me muito fora de onde me sinto confortável. Embora possa parecer, pelos meus vídeos, uma pessoa muito extrovertida e à vontade, não sou bem assim. Depende muito do contexto onde estou e com quem estou a falar. Eu sou e sempre fui uma pessoa extremamente tímida e reservada, portanto acho que o ativismo de rua não é mesmo para mim. Não digo que não o faça um dia. Mas encontrei no youtube uma forma de levar as minhas ideias a uma grande quantidade de pessoas, de uma forma clara, sem a pressão da revolta dos protestos de rua. Acho que hoje em dia não existe ferramenta de ativismo maior do que a internet. Tornei-me vegetariana e vegan por causa da internet, e decidi que queria fazer parte disso. Acho que faço ativismo cada vez que faço um vídeo informativo mais gráfico, cada vez que partilho o que comi ao longo do dia e até mesmo quando partilho que errei em algum aspecto. O meu objetivo é transmitir a ideia de que ser vegan não é tão difícil quanto se pensa, que é um acto de altruísmo e amor. E felizmente, acho que tenho conseguido passar isso a quem decide acompanhar-me. Já recebi centenas de mensagens de pessoas que se tornaram vegetarianas/vegans por minha causa, ou que decidiram pelo menos tentar. E isso para mim é ativismo, por isso, respondendo à pergunta: sim! xD

O que achas que falta para acabar com as touradas?

De ir a votos!! Acho que se fosse criado um referendo para apurar se a população aprecia esse ”espectáculo” deplorável,  o ”NÃO” ganharia por maioria. Acho que quem ainda gosta de touradas é um nicho de pessoas presas a tradicionalismos, benefícios e muita falta de empatia e informação. Quem vê um animal com as pernas a fraquejar e a sangrar por ter ferros enfiados por todo o corpo, e mesmo assim bate palmas de admiração e fascínio, só pode ter algo em falta enquanto ser humano. E não é justo nós, que somos totalmente contra, vermos o nosso precioso dinheiro a ser aplicado nesse tipo de práticas bárbaras ao invés de se apoiar coisas realmente importantes para a nossa sociedade e cultura. O grande problema, e umas principais causas para a tourada continuar a existir, é o facto de ter MUITO dinheiro envolvido. Simples. Há muita gente a quem não convém (monetariamente) que as touradas deixem de existir e por isso mesmo, temos de continuar a lutar!

Eras capaz de entrar num matadouro de bovinos?

Sinceramente, acho que não. Gostava de ter força para tal, mas não sei se aguentaria. Era o mínimo que devia a todos os animais que comi durante os meus primeiros 18 anos de vida, mas iria custar-me horrores. Tê-los perto de mim e não poder fazer nada para os salvar, acho que me destruiria por dentro.

Já foste ameaçada ou tiveste problemas por causa da tua exposição?

A minha exposição, até agora tem-me trazido coisas incríveis! Mas já fui ameaçada sim! Por causa de um vídeo que fiz, justamente a falar contra a tourada. Obviamente chateei os aficcionados e eles decidiram juntar-se todos na minha caixa de comentários e lá deixar inúmeras ofensas, ameaças e piadas de mau gosto. Coisas horríveis mesmo, doentias. Não tive medo porque percebi que aquilo era mais garganta do que outra coisa, mas podia perfeitamente ter apresentado aquilo na polícia e ter feito queixa. Não o fiz porque não lhes quis dar essa importância, mas era o que mereciam. Esses comentários ainda lá estão, não os apaguei de propósito para as pessoas verem que lidar e apreciar violência só gera pessoas violentas. Sem escrúpulos e mal-educadas.

A tua eletricidade é Vegan?

A electricidade não é sempre vegan? xD

(Vegan Life: Não, a eletricidade pode não ser vegan se for utilizada biomassa animal)

O que gostarias de fazer e não consegues por falta de tempo ou dinheiro?

Viagens e tatuagens!! Sem dúvida alguma xD não vivo 100% feliz sem nenhuma delas, mas ambas requerem dinheiro, que nem sempre sobra para as poder fazer.

Qual é que consideras ser a melhor forma de divulgar o veganismo?

Através do exemplo. Mostrar à nossa família, amigos e conhecidos que é uma opção saudável, ética, ecológica e, principalmente, que não é difícil. Eu costumo sempre dizer que uma pessoa não consegue mudar o mundo inteiro, mas consegue começar. Se cada pessoa conseguir influenciar uma ou duas pessoas cria-se uma cadeia que se tornará numa multidão. É justamente por isso que o veganismo é atualmente o movimento que mais cresce em todo o mundo. E cada vez vai crescer mais.

Se tivesses que dizer uma frase para um necrófago fazer um click relativamente a perceber que anda a comer animais mortos e com direito à vida, qual seria?

Fazia uma pergunta que ouvi há tempos e que marcou muito:
”-Se, de um modo geral, tivesses que optar por matar ou não matar, o que escolherias?
– Não matar.
– Então, isso é o veganismo!”

 

Tens andado mais nostálgica. Anda-se a passar algo?

Não acho que tenha andado mais nostálgica. Sempre fui a pessoa mais nostálgica que já conheci, por isso este é o meu estado normal xD a passagem do tempo sempre foi algo que me incomodou muito, então sempre tive a necessidade extrema de viver intensamente o presente e recordar o passado a toda a hora, com um carinho muito especial.


Links:

Canal Youtube

 

Comentários
A carregar..