Ativistas vegans obrigam clientes de restaurante a ouvir os gritos do matadouro

O vegetarianismo e o veganismo continuam em crescimento em grande parte por causa dos ativistas pelos animais.

Tem havido bastantes debates sobre o veganismo nas televisões por todo o mundo, alguns bastante acesos, e com isso surgem cada vez mais associações animais.

Em Inglaterra, numa tranquila noite, o grupo Direct Action Everywhere entrou no restaurante Touro Steakhouse para se manifestar contra o consumo de carne.

Junto às pessoas que estavam a jantar, os ativistas gritavam “Não é carne. É violência!”, segurando cartazes, enquanto reproduziam os sons dos animais a serem mortos nos matadouros.

No início não houve grande reação mas depois um grupo levantou-se e começou a dizer “Fique em pé quem gostar de cane”, incentivando outros clientes a fazerem o mesmo.

O protesto ainda durou algum tempo mas depois o grupo acabou por sair e ficar a manifestar-se fora do restaurante.

Aqui fica uma gravação:

 

Há cerca de um ano, em Melbourne, também um grupo de vegans  fez precisamente o mesmo:

Há quem seja a favor deste tipo de ações e há quem seja contra. Eu não sou a favor porque vai contra os direitos das pessoas que ali estão no restaurante. Percebo as razões dos ativistas, mas, por mais incomodados que se sintam, não têm o direito de invadir um espaço público e incomodar quem tem o pleno direito de estar a usufruir de uma refeição com animais. A minha sugestão passaria por, à saída do espaço, oferecer panfletos, ter ecrãs a passar vídeos, tudo o que não invadisse a liberdade alheia.

Fonte: Hypeness

Comentários
A carregar..